terça-feira, março 21

Trabalhadores dos Correios contra contrato colectivo de trabalho


CTT querem funcionários «mais flexíveis». Sindicatos prometem forte oposição à Administração. Recusam-se a abdicar de direitos.

Dois sindicatos dos CTT abriram a contestação aos planos da empresa de alterar o contrato colectivo de trabalho. A Administração pretende «maior flexibilidade e mobilidade dos trabalhadores». Mas o Sindicato dos Trabalhadores das Telecomunicações e Audiovisuais recusa-se a «abdicar de direitos» que «não são nenhum privilégio».

Faremos uma «oposição fortíssima» aos planos da empresa, garantiu o presidente do sindicato, Manuel Gonçalves, à TSF. «Querem fazer de nós pau para toda a obra», denunciou o sindicalista. «O senhor presidente, provavelmente por inépcia, não consegue levar os CTT para a frente e a maneira é atacar os trabalhadores», considera Victor Narciso, do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações.

Luís Nazaré, presidente da empresa explicou que «não se trata de querer mudar trabalhadores de Tavira para Vila Real», mas apenas de criar a «flexibilidade e mobilidade» necessária a uma gestão moderna. A administração irá enfrentar negociações difíceis com os 13 sindicatos e comissões de trabalhadores. Os CTT empregam perto de 14 mil funcionários.

Luís Galrão
21 de Março, 15:14

Sem comentários:

Related Posts Plugin...